Tão “british”… A história da Burberry…

A marca britânica Burberry começou como uma marca de artigos práticos e de preços acessíveis, mas passado um século tornou-se numa das marcas mais luxuosas do mundo. Em 1865 a sua primeira loja foi aberta em Hampshire, como a loja de casacos. Em 1880 foi inventada a primeira gabardine de sempre Tomas Burberry ficou conhecido como o inventor “daquela peça que permite andar à chuva, transpirar, caçar, conduzir ou trabalhar sem ver os seus movimentos dificultados”. Durante a Primeira Guerra Mundial as tropas britânicas iam vestidos por Burberry de casacos, cujos bolsos estava preparados para levar todo o arsenal bélico e alimentos necessários para um soldado. O que no início tinha sido inventado por motivos meramente práticos, rapidamente se tornou numa peça de vestuário icónica e intemporal…

Ainda recentemente em 1997 a Burberry foi considerada como uma marca para os “burgueses do campo” e golfistas, mas neste ano foi criada uma linha prêt-a-porter Prorsum, cujos gabardines mais sofisticadas foram ofertadas a influentes opinion makers. Foi assim dado o primeiro passo para alterar o futuro da casa britânica para sempre…

Em 2001 como director criativo foi contratado Christopher Bailey, que na altura já tinha trabalhado com Tom Ford e Donna Karan. Passados 11 anos o artista continua a surpreender o seu público e até atrair os que não se identificavam muito com a marca. Neste momento a marca Burberry deixou de ser uma marca para o público mais maduro e tem cada vez mais adeptos jovens, inclusive muitas figuras conhecidas e famosas…

Kim Kardashian

Ana Wintour

Olivia Palermo

Blake Lively

Victoria Beckham

A Burberry é hoje uma marca elitista, mas também comprometida com o seu papel de porta-estandarte dos valores british: funciona como uma plataforma para os jovens talentos do país, sejam elas modelos (Rosy Huttington-Whiteley ou Cara Delevigne),  bandas musicais ou actores através da sua fundação quase secreta, que não faz qualquer tipo de publicidade.

Mas… em 2004, convencida que quanto mais produzisse mais público conquistava, a marca cometeu um grave erro. A sua produção foi de tal maneira elevada e os preços mais ou menos acessíveis, que começaram a ser fabricadas muitas falsificações. Nessa altura até os taxistas britânicos ou os pubs poderiam fazer denúncias sobre os clientes suspeitos, que levassem uma peça Burberry falsificada. Escusado será dizer que as vendas da marca original ficaram muito comprometidas…

Actualmente o problema ainda não foi resolvido, mas é algo que todas as marcas têm em comum, pois as falsificações continuam e vão continuar a existir até haver compradores interessados…